Voz da mãe desempenha papel na ativação do cérebro do recém-nascido

Voz da mãe desempenha papel na ativação do cérebro do recém-nascido Resultados de estudo mostraram que conversa materna ativa as partes do cérebro responsável pela aprendizagem da linguagem.

CD134EB675AE756CF6C6C774F7FDC117Pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá, descobriram que a voz da mãe ativa as partes do cérebro responsável pela aprendizagem da linguagem.

A equipe de pesquisa da universidade fez a descoberta após a realização de gravações elétricas em recém-nascidos nas 24 horas seguintes ao seu nascimento. Os sinais cerebrais também revelaram que, embora as crianças reagissem às vozes de outras mulheres, estes sons ativaram somente as partes de reconhecimento de voz do cérebro.

“Esta é uma pesquisa interessante que comprova, pela primeira vez, que o cérebro do recém-nascido responde fortemente a voz da mãe e mostra, cientificamente falando, que a voz da mãe é especial para os bebês”, disse o pesquisador a líder do estudo, Maryse Lassonde.

A exploração do cérebro não havia sido realizada em participantes tão jovens antes deste estudo.

“Nós aplicamos eletrodos na cabeça de 16 bebês enquanto eles estavam dormindo e pedimos à mãe para fazerem um curto som da vogal “A”. Em seguida, repetimos o exercício com uma enfermeira do sexo feminino. Quando a mãe falou, os exames mostraram muito claramente as reações no hemisfério esquerdo do cérebro e, em especial no processamento da linguagem. Inversamente, quando a enfermeira desconhecida falou, o hemisfério direito do cérebro reagiu. O hemisfério direito está associado com reconhecimento de voz.”

A voz especial que a mãe usa para se comunicar com seus bebês é reconhecida cientificamente. Os pesquisadores levaram em conta este fato, envolvendo uma enfermeira que é mãe, e também combateram o aspecto “novidade”, organizando para que a mãe se encontrasse com a enfermeira, em intervalos regulares antes do nascimento. Finalmente, a análise de discurso foi usada para garantir que a voz da mãe e as vozes da outra mulher fossem suficientemente comparáveis.

Os pesquisadores já sabiam que os bebês têm alguma capacidade de linguagem inata, mas eles estão apenas começando a entender o que essas capacidades são e como elas funcionam.

Para a equipe, esta pesquisa confirma que a mãe é a iniciadora primária da linguagem e sugere que há uma ligação entre a aquisição da linguagem neurobiológica pré-natal e das habilidades motoras envolvidas na fala.

Fonte: Isaude

About Redação da Revista JusRO

Revista Jurídica JusRO proporcionando desde 2008 um espaço dinâmico para a divulgação de noticias jurídicas, artigos jurídicos, trabalhos acadêmicos, roteiros de aulas. Torne-se um seguidor, contribua e participe você também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *