Tag Archives: WhatsApp

Mentiras, inutilidades, pornografia infantil e vírus no whatsapp e rede sociais

Published by:

O tempo todo vemos circulando nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp, grande volume de inutilidades, como as correntes e o tradicional “digite seu amém”, também é grande o volume de informações falsas, mentiras, vírus, ponografias e pornografia infantil e de pessoas mortas ou mutiladas …

Entenda:

  • O 13° salário não foi extinto.
  • Temer não extinguiu o bolsa família (apesar que essa podia se verdade)
  • O WhatsApp não cobrará por mensagem caso você, e não reenvie mensagem a mais de 3 grupos.
  • Silvio Santos não morreu.
  • Galvão Bueno não morreu.
  • Faustão também não morreu.
  • Michael Jackson não esta vivo, esse sim morreu.
  • Seu celular não terá a bateria recarregada porque você compartilhou uma mensagem em três grupos.
  • Seu celular não fará ligações gratuitas porque você compartilhou uma mensagem em sete grupos.
  • Se um dia o Whatsapp fizer vídeo-chamadas seu aplicativo será automaticamente atualizado, independente de você compartilhar uma mensagem.  
  • Novos emoticons não “aparecerão” porque você compartilhou uma mensagem ou porque clicou num link… 99,99% das vezes é vírus!!
  • A TIM, a VIVO e a CLARO não estão de aniversário e não vão distribuir créditos para celular.
  • A menininha com câncer não vai ser curada só porque conseguiu cem curtidas e 50 comentários com amém.
  • Deus não depende de suas curtidas ou compartilhamentos para te abençoar!
  • Publicar foto de crianças vítimas de violência sexual É CRIME!!
  • Compartilhar Imagens de cadáveres e pessoas mutiladas, além de ser um desrespeito, acaba por ferir a família. É Crime está previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro, tipificado como vilipêndio a cadáver. No caso de vilipêndio de cadáver a ação é pública incondicionada. Sendo assim, pode ser feita uma investigação pelas autoridades e até o ajuizamento da denúncia sem depender do interesse das pessoas envolvidas.

Por isso, é essencial antes de sair compartilhando qualquer conteúdo em suas redes sociais ou WhatsApp ou registrar algo sempre agir pautado pelo bom senso verificando se a informação procede. Afinal, ninguém gostaria que algo nessas circunstâncias acontecesse com a sua própria família, não é?


Envie sua Sugestão de pauta, denúncia, fotos, videos, piadas, contos, historias e artigos para o WhatsApp: + 55 (69) 9.9987-6863. Não se esqueça de se identificar.

Posso publicar foto de crianças sofrendo abuso sexual para identificar o criminoso?

Published by:

Não. Publicar foto de crianças vítimas de violência sexual É CRIME!!

Compartilhar foto de crianças vítimas de violência sexual WhatsApp ou outra rede social É CRIME!! A justificativa dos usuários do aplicativo pedindo o compartilhamento das imagem é para que com isso consiga “identificar” o agressor. Porém nas imagens somente da para identificar o rosto da criança que aparenta ter 8 anos e o órgão genital do agressor.  Será que possível identificar o agressor da vitima pela imagem do órgão genital?

Veja o que o Estatuto da Criança e do Adolescente diz a respeito do compartilhamento foto de crianças vítimas de violência sexual:

Art. 240.  Produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente: (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

Pena – reclusão, de 4 (quatro) a 8 (oito) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

§ 1o  Incorre nas mesmas penas quem agencia, facilita, recruta, coage, ou de qualquer modo intermedeia a participação de criança ou adolescente nas cenas referidas no caput deste artigo, ou ainda quem com esses contracena.   (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

§ 2o  Aumenta-se a pena de 1/3 (um terço) se o agente comete o crime: (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

I – no exercício de cargo ou função pública ou a pretexto de exercê-la; (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

II – prevalecendo-se de relações domésticas, de coabitação ou de hospitalidade; ou              (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

III – prevalecendo-se de relações de parentesco consangüíneo ou afim até o terceiro grau, ou por adoção, de tutor, curador, preceptor, empregador da vítima ou de quem, a qualquer outro título, tenha autoridade sobre ela, ou com seu consentimento.  (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)       

Art. 241.  Vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente: (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

Pena – reclusão, de 4 (quatro) a 8 (oito) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 11.829, de 2008)

Art. 241-A.  Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente: (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

Pena – reclusão, de 3 (três) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

§ 1o  Nas mesmas penas incorre quem: (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

I – assegura os meios ou serviços para o armazenamento das fotografias, cenas ou imagens de que trata o caput deste artigo; (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

II – assegura, por qualquer meio, o acesso por rede de computadores às fotografias, cenas ou imagens de que trata o caput deste artigo.  (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 § 2o  As condutas tipificadas nos incisos I e II do § 1o deste artigo são puníveis quando o responsável legal pela prestação do serviço, oficialmente notificado, deixa de desabilitar o acesso ao conteúdo ilícito de que trata ocaput deste artigo. (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Art. 241-B.  Adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente: (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Pena – reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 § 1o  A pena é diminuída de 1 (um) a 2/3 (dois terços) se de pequena quantidade o material a que se refere o caput deste artigo.  (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 § 2o  Não há crime se a posse ou o armazenamento tem a finalidade de comunicar às autoridades competentes a ocorrência das condutas descritas nos arts. 240, 241, 241-A e 241-C desta Lei, quando a comunicação for feita por: (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 I – agente público no exercício de suas funções; (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 II – membro de entidade, legalmente constituída, que inclua, entre suas finalidades institucionais, o recebimento, o processamento e o encaminhamento de notícia dos crimes referidos neste parágrafo;        (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 III – representante legal e funcionários responsáveis de provedor de acesso ou serviço prestado por meio de rede de computadores, até o recebimento do material relativo à notícia feita à autoridade policial, ao Ministério Público ou ao Poder Judiciário.          (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 § 3o  As pessoas referidas no § 2o deste artigo deverão manter sob sigilo o material ilícito referido.          (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Art. 241-C.  Simular a participação de criança ou adolescente em cena de sexo explícito ou pornográfica por meio de adulteração, montagem ou modificação de fotografia, vídeo ou qualquer outra forma de representação visual:  (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

Parágrafo único.  Incorre nas mesmas penas quem vende, expõe à venda, disponibiliza, distribui, publica ou divulga por qualquer meio, adquire, possui ou armazena o material produzido na forma do caput deste artigo.(Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Art. 241-D.  Aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato libidinoso: (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Parágrafo único.  Nas mesmas penas incorre quem: (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 I – facilita ou induz o acesso à criança de material contendo cena de sexo explícito ou pornográfica com o fim de com ela praticar ato libidinoso; (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 II – pratica as condutas descritas no caput deste artigo com o fim de induzir criança a se exibir de forma pornográfica ou sexualmente explícita.  (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

 Art. 241-E.  Para efeito dos crimes previstos nesta Lei, a expressão “cena de sexo explícito ou pornográfica” compreende qualquer situação que envolva criança ou adolescente em atividades sexuais explícitas, reais ou simuladas, ou exibição dos órgãos genitais de uma criança ou adolescente para fins primordialmente sexuais (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008)

Art. 242. Vender, fornecer ainda que gratuitamente ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente arma, munição ou explosivo:

Pena – reclusão, de 3 (três) a 6 (seis) anos. (Redação dada pela Lei nº 10.764, de 12.11.2003)

Art. 243.  Vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica: (Redação dada pela Lei nº 13.106, de 2015)

Pena – detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.          (Redação dada pela Lei nº 13.106, de 2015)

Quem compartilha este tipo de Imagem é tão agressor como próprio agressor. Usemos o WhatsApp ou outra rede social com responsabilidade.


O blog é aberto a todos, mesmo que você não concorde, sinta-se livre para expressar suas opiniões no espaço de comentário logo abaixo.  Lembrando: Para evitar problemas jurídicos o Site JusRO não aceitará qualquer tipo de Comentários Ofensivos, por mais ‘inocentes’ que sejam contra qualquer tipo de pessoa, instituições ou Grupo Religiosos.

Envie sua Sugestão de pauta, denúncia, fotos, videos, piadas, contos, historias e artigos para o WhatsApp: + 55 (69) 9.9987-6863. Não se esqueça de se identificar.

Kombi dos Fotógrafos e a Suspeita de tráfico de órgãos ganha as redes sociais

Published by:

Imagens meramente ilustrativa

Imagens meramente ilustrativa

Segundo o boato que começou através do aplicativo WhatsApp que passou para rede social Facebook uma van, marca Volkswagen, modelo Kombi, prestando serviços fotográficos a crianças e adolescentes na cidade de Vilhena, de que as pessoas que está com esse veículo são suspeitas de fazerem tráfico de órgãos, e que a Polícia Federal (PF) estava percorrendo escolas da cidade pedindo que tanto as crianças, quanto seus responsáveis, ficassem alerta.

Não se sabe se esse caso é verídico, mas em apenas quatro dias o boato ganhou uma enorme repercussão no Cone Sul e no Estado de Rondônia.

A repercussão foi tamanha que no último sábado, 29 de novembro de 2014, FOTO-CAN-CAPA-300x233uma van cujas características não coincidem com as da Kombi foi presa pela Polícia Militar (PM) do município de Colorado do Oeste que levarão moradores da região ficaram preocupados a ponto de disseminar a informação da prisão dos suspeitos.

Diversos site de notícia do estado de Rondônia e milhares de compartilhamentos já foram feitos, e dezenas de pessoas que utilizam as redes sociais disseminaram o boato.

Guangue do palhaçoE até mesmo da circulação do veículo pelo interior do estado. E teve muitos internautas dizendo que viu a Kombi passar em seu bairro, e pela sua cidade e muitos estão dizendo terem sido abordados pelos fotógrafos que ofereceram seus serviços.

Será que é mais uma Lenda Urbana como A Gangue do Palhaço que Aterrorizou o Brasil e a grande São Paulo em meados na década de 90, até o momento a Kombi dos Fotógrafos não passa de boatos, porem canja de galinha e precauções não faz mal ninguém.

Que os pais e autoridades fique atentos para com as crianças na idade escolar, pois não sabemos se é apenas um boato ou realmente verdade a respeito do tráfico de órgãos.


Envie sua Sugestão de pauta, denúncia, fotos, videos, piadas para o WhatsApp: (69) 9987-6863 para envio. Não se esqueça de se identificar.


Conheçam, Acompanhem, CURTAM: JusRO