Sexting: O perigo das fotos sensuais na rede da internet

Um fenômeno atual entre adolescentes e que tem alcançado proporções cada vez maiores está preocupando os especialistas que lidam com segurança na internet. O sexting (Nude), como é chamado o hábito de produzir fotos sensuais e enviar as imagens via internet ou pelo celular com o objetivo de iniciar ou complementar um namoro, pode terminar em uma grande dor de cabeça chamada pornografia infantil ou ciberbullying (humilhações entre jovens na internet).

Segundo pesquisa realizada pela ONG SaferNet aponta que 13% dos estudantes adolescentes ouvidos já publicaram fotos íntimas na internet, sendo que 39% desses já enviaram imagens assim mais de cinco vezes. Segundo o estudo da ONG, 49% dos estudantes já disseram ter recebido, sem querer, mensagens de pornografia adulta.  Outro dado preocupante descoberto pelos pesquisadores é que 63% dos internautas de 10 a 15 anos usam a internet em lan houses, ou seja, sem os limites dos pais, o que significa um risco a mais para caírem na rede de criminosos virtuais.  Para a professora Vancleide Jordão, que atua no laboratório de informática do Colégio Apoio, a segurança na internet passa por educação básica também. “Não temos filtros no colégio porque ensinamos aos alunos desde pequenos sobre o uso responsável dessa ferramenta de comunicação”, disse.

Cartilha Navegar com Segurança ganha nova edição

Navegar na internet com segurança é possível e, acima de tudo, necessário. Ela está na rotina de todos nós, mas não podemos esquecer que a internet não é diferente do mundo real. Dados da Safernet Brasil apontam que 71% das crianças entre 11 e 12 anos têm perfil nas redes sociais. Ao mesmo tempo, 50% dos pais e mães não verificam as pessoas adicionadas às redes sociais de seus filhos e 74% deles reconhecem que deveriam fazer mais em relação ao uso da internet por seu filho. É justamente para colaborar com os pais, educadores e responsáveis por crianças e adolescentes que a Childhood Brasil está lançando a 3ª edição da cartilha Navegar com Segurança – por uma infância conectada e livre da violência sexual, disponível para download gratuito aqui.

A cartilha, dividida em quatro capítulos (O que é a internet; os perigos da internet; o papel de pais e educadores; como denunciar), traz dicas simples e informações objetivas e práticas para que os adultos assumam uma postura proativa na prevenção da violência sexual. “A cartilha tem sido importante em dois aspectos: primeiro porque diz respeito à sociedade, contribuindo para que adultos orientem adolescentes e crianças a usarem a internet de forma mais ética e responsável e abre um espaço para o debate de como se preservar e se proteger no mundo online”, diz Erika Kobayashi, coordenadora de programas da Childhood Brasil.

“O segundo aspecto é mais institucional: a Childhood Brasil acha importante estar presente neste diálogo, inclusive na mídia. Isso nos faz interagir constantemente com o tema e atualizar o nosso olhar. Ou seja, nos obriga a não ficarmos parados. A tecnologia é dinâmica e nosso olhar também acompanha este movimento”, complementa. Vale lembrar que a cartilha Navegar com Segurança é voltada para os adultos. Para as crianças, recomendamos o uso da cartilha Saferdicas, produzida pela Safernet Brasil.

Além de dicas, a cartilha Navegar com Segurança aborda temas relacionados à internet, como na edição anterior, quando foi contextualizado o uso do termo pedofilia na capa da cartilha. O termo vem sendo erroneamente difundido pela mídia ao abordar casos de abuso sexual. Pedofilia se trata de uma doença, um desvio de sexualidade, que leva um indivíduo adulto a se sentir sexualmente atraído por crianças e adolescentes de forma compulsiva e obsessiva, podendo levar ao abuso sexual. Nem todo pedófilo é abusador. E nem todo abusador sexual é um pedófilo.

Alguns dados:

  • Em maio de 2012, o grupo de usuários da internet entre 2 a 11 anos de idade chegou a 5,9 milhões, o que corresponde a 14,1% do total de usuários ativos de internet em casa;
  • A evolução nos últimos dois anos foi de 1 milhão de novas crianças por ano;
  • 75% dos adolescentes entre 10 e 18 anos navegam na internet, enquanto entre as crianças de 6 a 9 anos, o índice é de 47%;
  • No mundo são 2,1 bilhões de usuários, 30% da população mundial;
  • Segundo a Central de Denúncias da Safernet, foram registradas 10.715 denúncias de pornografia infantil no primeiro semestre de 2012, em comparação com 7.743 no mesmo período de 2011. Houve, portanto, um crescimento de 38,4% no número de denúncias.

Navegar com seguraça

FONTE: informação do CORREIO BRAZILIENSE e Cartilha Navegar com Segurança


Envie sua Sugestão de pauta, denúncia, fotos, videos, piadas, contos, historias e artigos para o WhatsApp: + 55 (69) 9.9987-6863. Não se esqueça de se identificar.

About Redação da Revista JusRO

Revista Jurídica JusRO proporcionando desde 2008 um espaço dinâmico para a divulgação de noticias jurídicas, artigos jurídicos, trabalhos acadêmicos, roteiros de aulas. Torne-se um seguidor, contribua e participe você também!

One thought on “Sexting: O perigo das fotos sensuais na rede da internet

  1. Pingback: Sexting: O perigo das fotos sensuais na rede da internet « Clínica Psicodramática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *