Elsagate o mundo infantil com muita droga, sexo e muita depravação

Atenção pais que deixam filhos pequenos assistirem a desenhos e vídeos no YouTube ligue o pisca alerta: criadores mal-intencionados estão disseminando vídeos supostamente infantis, mas que escondem conteúdos explicitamente violentos e sexuais, incluindo cenas com agulhas, insetos, abuso, espancamento, aborto, escatologia e outros temas inapropriados para crianças.

O fenômeno do YouTube batizado por YouTubers de ‘Elsagate’ — em alusão à famosa personagem Elsa, da animação Frozen, da Disney; e ao escândalo político Watergate.

Alguns vídeos são animações que imitam personagens infantis icônicos, como super-heróis, princesas e outras criaturas. Outros são filmagens ‘live action’, ou seja, atores — adultos e crianças — fantasiados como os personagens. Os vídeos estão no YouTube sem censura e são marcados por palavras-chaves infantis.

Quando a criança que entra para assistir um desenho normal pode acabar sendo levada a estes vídeos através da reprodução automática do YouTube, que procura vídeos relacionados através das palavras-chave. Como o conteúdo vem disfarçado de infantil, os pais ou responsáveis pela criança podem não perceber o que está sendo reproduzindo.

O objetivo é transmitir essa mensagem a quem assiste não ganhar dinheiro com a rentabilização youtube, pois os vídeos não são monetizados, ou seja, as visualizações não geram receita para o produtor de conteúdo, e são muito bem produzidos, o que costuma custar caro para produzi-los. Os videos fica explícito que há relação com as redes de produção de conteúdo pedófilo e pornográfico.

About Redação da Revista JusRO

Revista Jurídica JusRO proporcionando desde 2008 um espaço dinâmico para a divulgação de noticias jurídicas, artigos jurídicos, trabalhos acadêmicos, roteiros de aulas. Torne-se um seguidor, contribua e participe você também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *